Quando você ouve falar sobre “mineração” de bitcoin, você imagina que as moedas sejam cavadas do chão. Mas bitcoin não é físico, então por que chamamos de mineração?

Porque é semelhante à mineração de ouro, na medida em que os bitcoins existem no projeto do protocolo (assim como o ouro existe no subsolo), mas eles não foram trazidos para a luz ainda (assim como o ouro ainda não foi desenterrado). O protocolo bitcoin estipula que 21 milhões de bitcoins serão “desenterrados” no total. O que os “mineiros” fazem é trazê-los para a luz, um por vez.

Eles conseguem fazer isso como uma recompensa por criar blocos de transações validadas e incluí-las na cadeia de blocos, ou, blockchain.

Nós (Nodes)

Retrocedendo um pouco, vamos falar sobre “nós”. Um nó é um computador poderoso que executa o software bitcoin e ajuda a manter o bitcoin funcionando participando da retransmissão de informações. Qualquer um pode executar um nó, basta baixar o software bitcoin (gratuito) e deixar uma certa porta aberta (a desvantagem é que ele consome energia e espaço de armazenamento – no momento da escrita a rede ocupa cerca de 145 GB). Os nós espalham transações bitcoin em toda a rede. Um nó enviará informações para alguns nós que conhece, que retransmitirão a informação aos nós que eles conhecem, e assim por diante. Desta forma, ele acaba se locomovendo em toda a rede de forma bastante rápida.

Alguns nós são nós de mineração (geralmente referidos como “mineiros”). Estes grupos destacam as transações em blocos e adiciona-os ao blockchain. Como eles fazem isso? Ao resolver um enigma matemático complexo que faz parte do programa bitcoin e incluindo a resposta no bloco. O enigma que precisa ser resolvido é encontrar um número que, quando combinado com os dados no bloco e passados ​​através de uma função de hash, produz um resultado que esteja dentro de um determinado intervalo. Isso é muito mais difícil do que parece.

(Para os amantes de trivia, este número é chamado de “nonce”, que é uma concatenação de “number used once” (número usado uma vez). No caso do bitcoin, o nonce é um número inteiro entre 0 e 4.294.967.296)

Resolvendo o quebra-cabeça

Como eles acham esse número? Adivinhando ao acaso. A função hash torna impossível prever qual será o resultado. Então, os mineiros adivinham o número misterioso e aplicam a função hash à combinação desse número adivinhado e os dados no bloco. O hash resultante deve começar com um número pré-estabelecido de zero. Não há como saber qual número funcionará, porque dois inteiros consecutivos darão resultados variáveis. Além disso, pode haver vários nonces que produzam o resultado desejado, ou pode haver nenhum (nesse caso, os mineiros continuam tentando, mas com uma configuração de bloco diferente).

O primeiro mineiro a obter um hash resultante dentro do intervalo desejado anuncia sua vitória para o resto da rede. Todos os outros mineiros imediatamente param o trabalho nesse bloco e começam a tentar descobrir o número misterioso para o próximo. Como recompensa por seu trabalho, o mineiro vitorioso recebe uma quantia nova de bitcoin.

Economia

No momento da redação, a recompensa é de 12,5 bitcoins, que no momento da escrita vale quase US$200.000.

Embora não seja tão agradável como parece. Há muitos nós de mineração que competem por essa recompensa, e é uma questão de sorte e poder de computação (quanto mais cálculos de adivinhação você puder executar, mais chance você terá).

Além disso, os custos de ter um nó de mineração são consideráveis, não só por causa do poderoso hardware necessário (se você tiver um processador mais rápido do que seus concorrentes, você tem uma melhor chance de encontrar o número correto antes deles), mas também por causa das grandes quantidades de eletricidade que consome esses processadores.

E, o número de bitcoins atribuídos como recompensa pela resolução do enigma irá diminuir. São 12,5 agora, mas vai pela metade a cada quatro anos ou mais (o próximo é esperado em 2020-21). O valor da bitcoin em relação ao custo de eletricidade e hardware poderia aumentar nos próximos anos para compensar parcialmente essa redução, mas não é certo.

Dificuldade

A dificuldade do cálculo (o número necessário de zeros no início da seqüência de hash) é ajustada com freqüência, de modo que leva em média cerca de 10 minutos para processar um bloco.

Porquê 10 minutos? Essa é a quantidade de tempo que os desenvolvedores de bitcoins pensam ser necessário para um fluxo constante e decrescente de novas moedas até atingir o número máximo de 21 milhões (esperado em algum tempo perto de 2140).

Se você chegou até aqui, parabéns! Ainda há muito mais a explicar sobre o sistema, mas pelo menos agora você tem uma idéia do amplo esboço do genio da programação e do conceito. Pela primeira vez, temos um sistema que permite transferências digitais convenientes de forma descentralizada, livre de confiança e inviolável. As repercussões podem ser enormes.

Compartilhe ou envie por email:
FacebookTwitterLinkedInWhatsAppTelegramEmail